Flight Air France 447 Rio de Janeiro - Paris-Charles de Gaulle

Français

 

» Make sure you have the latest information

  • Paris, 05 July 2012 - 15:38 local time

    Air France’s reaction to the publication of the BEA’s final report on the AF447 accident

    Today, Air France received the French Accident Investigation Bureau’s (BEA) final report on the accident to flight AF 447 Rio-Paris on 1 June 2009.

    Air France would like once again to pay tribute to the memory of the passengers and crew members who lost their lives in this accident, and wishes to express its full solidarity with the victims’ families.

    The Company wishes to thank the BEA experts for their extensive work allowing to clarify the causes and contributing factors to this tragedy that has profoundly affected Air France and the entire air transport community.

    In its analysis and conclusions, the BEA underlines a sequence and combination of several factors – technical and human – that led to the loss of the aircraft in just over four minutes. It confirms that the crew was properly trained and qualified in accordance with regulations and that the aircraft systems were functioning in accordance with design and met the applicable certification criteria.

    The BEA report describes a crew who acted in line with the information provided by the cockpit instruments and systems, and the aircraft behaviour as it was perceptible in the cockpit: instrument indications, triggering and stoppage of the alarms, aerodynamic noise, aircraft vibrations, etc. The reading of the various data did not enable them to apply the appropriate action.

    In this deteriorated aircraft cockpit environment, the crew, with the skills of one flight captain and two first officers, were committed to carrying out their task of piloting the aircraft to the very end.

    Air France wishes to pay tribute to their courage and determination in these extreme conditions.

    The recommendations of the report set out a series of lines of improvement in several areas intended for all industry playe organization of back-up and improvement of communication systems, instrumentation, alarm systems and operational logic and aircraft protection laws, crew training and information programmes and resources to be provided by the manufacturers, authorities and airlines, particularly in specific situations with an element of surprise, the stall recovery procedures having been modified since the accident, analysis and sharing of feedback within the aeronautical industry.

    These recommendations are intended for all aeronautical and air transport players with a view to improving flight safety.

    Air France is currently involved in an ongoing process of improving flight safety procedures. This process has allowed the airline to anticipate the implementation of the majority of the report’s recommendations to be conducted on the operators’ initiative, such as changes to the crews’ training programmes, and to launch several innovative initiatives.

    Independently of the elements contained in the BEA’s final report and the legal inquiry underway, flight safety remains for Air France an absolute priority.

    Português  

    Resposta da Air France à publicação do relatório final do BEA sobre o acidente do voo AF447  

    A Air France recebeu hoje o relatório final da investigação do Bureau de Investigações e Análises (BEA, na sigla em francês) sobre o acidente com o voo AF 447 Rio/Paris em 1º de junho de 2009. 

    A Air France presta novamente homenagem à memória dos passageiros e membros da tripulação que perderam a vida neste acidente, e envia seus sinceros pêsames às suas famílias. A empresa cumprimenta o trabalho minucioso dos especialistas do BEA que vem esclarecer as causas e os fatores que resultaram nesta tragédia, que abalou profundamente a Air France e a comunidade do transporte aéreo. 

    Na sua análise e conclusões, o BEA ressalta que foi uma sucessão e combinação de diversos fatores – técnicos e humanos – que levaram à perda da aeronave em pouco mais de quatro minutos. O relatório confirma que a tripulação era qualificada e formada conforme a regulamentação e que os sistemas do avião reagiram de acordo com sua concepção e critérios de certificação aplicáveis. 

    O relatório do BEA descreve que a tripulação agiu de acordo com as informações fornecidas pelos instrumentos e sistemas de bordo e do comportamento do avião tal como era percebido no cockpit: indicação dos instrumentos, alarmes que se acionavam e paravam, ruídos aerodinâmicos, vibrações do aparelho etc. A leitura feita não lhes permitiu aplicar as ações apropriadas. Neste ambiente de pilotagem prejudicado, a tripulação, reunindo as competências do comandante e dos dois co-pilotos, dedicou-se a conduzir o voo até os últimos instantes. 

    A Air France presta homenagem à coragem e determinação destas pessoas nestas condições tão extremas.  As recomendações do relatório propõem à indústria como um todo ações de diversas naturezas: 

    • organização dos socorros e melhoria dos sistemas de comunicação,
    • instrumentação, sistemas e lógica de funcionamento dos alarmes e das leis de proteção do avião,
    • programas e meios de formação e de informação das tripulações pelos construtores, autoridades e companhias aéreas, sobretudo em situações específicas que apresentem efeitos surpresa, sendo que os procedimentos de recuperação de perda de sustentação (estol) foram modificados após o acidente;
    • análise e feedback de experiência dentro da indústria aeronáutica; 

    Estas recomendações são endereçadas a toda indústria aeronáutica e do transporte aéreo com o objetivo de incrementar a segurança dos voos. A Air France lembra que está comprometida com o permanente trabalho de redefinição e melhoria da segurança de seus voos. 

    Este trabalho já lhe permitiu realizar antecipadamente as recomendações essenciais do relatório, sobretudo aquelas relativas aos operadores, tais como a evolução dos programas de formação e treinamento das tripulações, e o lançamento de diversas iniciativas inovadoras. Independente dos elementos trazidos pelo relatório final do BEA e pelos trabalhos da investigação legal em andamento, a segurança dos voos continua sendo uma prioridade absoluta para a Air France.